Araştırma Makalesi
PDF EndNote BibTex RIS Kaynak Göster

Yıl 2020, Cilt 5, Sayı 2, 143 - 155, 30.12.2020
https://doi.org/10.31822/jomat.768792

Öz

Kaynakça

  • ABNT. (2001). NBR ISO 1400 – Requisitos de um sistema de gestão ambiental. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de janeiro.
  • Alexander, S.; & Kennedy, C. (2002). Green hotels: Opportunities and resources for success. Zero Waste Alliance, v. 5, n. 7, p. 1-9.
  • Amazonas, I. T. (2014). Gestão Ambiental na Hotelaria: Tecnologias e práticas sustentáveis aplicadas nos Hotéis de João Pessoa – PB. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil.
  • Amazonas, I. T.; Silva, R. F. C.; & Andrade, M. O. (2018). Gestão Ambiental Hoteleira: Tecnologias e Práticas Sustentáveis Aplicadas a Hotéis. São Paulo, v. 21.
  • Barbieri, J. C. (2011). Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. 3rd ed. Atual e ampliada. Saraiva. São Paulo.
  • Barbosa, L. G. M. (2015). Índice de competitividade do turismo nacional: relatório Brasil 2015. 92 p. Ministério do Turismo. Brasília, DF.
  • Câmara Municipal de Fortaleza. (2018). Projeto de Lei nº 0366 / 2018. Available at: https://sapl.fortaleza.ce.leg.br/media/sapl/public/materialegislativa/2018/41771/41771_texto_integral.pdf. Accessed on 03.jun. 2020.
  • Cardoso, M. L.; & Figueiredo, M. D. de. (2016). Práticas de inovações sustentáveis: Estudo qualitativo no setor hoteleiro em Fortaleza/CE. Caderno Virtual de Turismo.
  • Carvalho, C. L. (1997). Menos estrelas para os hotéis. Nova classificação privilegia o atendimento aos hóspedes, mas métodos gerenciais, equipamentos e instalações ainda têm peso. Revista OESP Hotéis, Restaurantes e Fast-Food, s.ed., Artigo 5. Fev/Mar/.
  • Ceará. (2016). Lei N.º 16.032, de 20.06.16 (Republicação por incorreção no D.O. 29.06.16) Institui a Política Estadual de Resíduos Sólidos no Âmbito do Estado do Ceará. Available at: http://www.mpce.mp.br/wp-content/uploads/2015/12/Lei-Estadual-n%C2%BA16.032-2016-Institue-a-Pol%C3%ADtica-Estadual-de-Res%C3%ADduos-S%C3%B3lidos-no-Estado-do-Cear%C3%A1.pdf. Accessed on 15 July 2018.
  • Coltro, A. (2005). Sistema de certificação ISO 14000: ganhos competitivos. http://www.ead.fea.usp.br/semead/8semead/resultado/trabalhosPDF/73.pdf. Accessed on 11.04.2017.
  • Conpam (2014). Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente. Plano Estadual de Resíduos Sólidos do Estado do Ceará. Fortaleza, Ceará.
  • Dias, R. (2017). Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. 3. Ed. 5.rei. Atlas, São Paulo.
  • Donaire, D. (2013). Gestão ambiental na empresa. 2. ed – 17. reimpr. Atlas, São Paulo.
  • Eletrobrás. (2018). Caderno de Boas Práticas - Eficiência Energética em Edificações Brasileiras. Programa Procel. Available at http://www.procelinfo.com.br/main.asp?Team=%7BFC2C2D0B-55B9-411E-A298 ADBED177A088%7D. Accessed on 09.07.2018.
  • EMBRATUR (2018). Instituto Brasileiro de Turismo. Available at: htts://embratur.gov.br. Accessed on 23.07.2018.
  • Falcão, G. (2013). Produtos biodegradáveis. Revista Pensamento Verde.
  • Gripp, W. G. (2004). Gerenciamento de resíduos sólidos municipais e os sistemas complexos: a busca da sustentabilidade e a proposta de cobrança da coleta. Tese de Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental. Santo André, SP.
  • John, G; Clements-Croome, D; & Jeronimidis, G. (2005). Sustainable buildings solutions. Building and Environment, v. 40, n. 3, p. 319-328.
  • Lima, I. S. M. (2008). Apostila de Gestão Ambiental na Hotelaria.
  • Orfila-Sintes, F.; & Mattsson, J. (2007). Innovation behaviour in the hotel industry. Omega, v. 37, n. 2, p. 380- 394.
  • Pacheco, D. N.; & Martins, D. V. (2004). Restaurante como Empresa Socialmente Responsável. In: Turismo com responsabilidade social: coletânea do XXIII CBTUR, Congresso Brasileiro de Turismo, 2003. Organizador Miguel Bahl. Roca, São Paulo.
  • Pousada, A.; Pinzan, E.; & Sugiyama, M. S. G. (2005). Uso e reuso da água em São Paulo: uma reflexão para o lazer e o turismo. In: Dowbor, L.; Tagnin, Renato Arnaldo (Org.). Administrando a água como se fosse importante: gestão ambiental e sustentabilidade. São Paulo: Ed. Senac.
  • Santos, T. S. et al. (2015). Análise da eficiência energética, ambiental e econômica entre lâmpadas de LED e convencionais. Eng. Sanit. Ambient., v. 20, n. 4, p. 595-602. Rio de Janeiro.
  • Sawin, J. (2011). Global Status Report. REN 21 Secretariat, Paris. Renewable and Sustainable Energy Reviews 16 (1), 113-122.
  • Setur. (2017). Secretaria de Turismo do Ceará. Available at: http://www.setur.ce.gov.br/images/pdfs/estudos-pesquisas/evolucao-turismo-2006-2016-artigo.pdf. Accessed on 23.09.2017.
  • Sousa, C. C. B. (2013). Revelações sobre a satisfação do turista com os serviços ofertados nos meios de hospedagem: um estudo exploratório na Av. Beira Mar de Fortaleza –Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Fortaleza, Ceará, CE, Brasil.

Environmental responsibility actions and technologies in hotels management at Fortaleza: The Case of Fortaleza-Ceará-Brazil

Yıl 2020, Cilt 5, Sayı 2, 143 - 155, 30.12.2020
https://doi.org/10.31822/jomat.768792

Öz

This study aims to investigate the environmental responsibility actions and technologies adopted by managers at medium and large-sized hotels, of Beira Mar Avenue, in Fortaleza city. Our methodology is descriptive, using an inductive method with a qualitative approach. We applied questionnaires (structured interview) to thirteen managers of different hotels, having more than 50 housing units, classified as medium and large size, together with a systemic and non-participatory observation. Our results reveal that hotels develop clean sustainable actions and technologies as tools to mitigate the generated negative impacts. Finally, the conclusions point to the need of articulation between the public authorities, the hotel sector and the third sector, for the development of innovative technologies and the adoption of new behaviours in the management of hospitality facilities in Fortaleza-CE, Brazil.

Kaynakça

  • ABNT. (2001). NBR ISO 1400 – Requisitos de um sistema de gestão ambiental. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de janeiro.
  • Alexander, S.; & Kennedy, C. (2002). Green hotels: Opportunities and resources for success. Zero Waste Alliance, v. 5, n. 7, p. 1-9.
  • Amazonas, I. T. (2014). Gestão Ambiental na Hotelaria: Tecnologias e práticas sustentáveis aplicadas nos Hotéis de João Pessoa – PB. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil.
  • Amazonas, I. T.; Silva, R. F. C.; & Andrade, M. O. (2018). Gestão Ambiental Hoteleira: Tecnologias e Práticas Sustentáveis Aplicadas a Hotéis. São Paulo, v. 21.
  • Barbieri, J. C. (2011). Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. 3rd ed. Atual e ampliada. Saraiva. São Paulo.
  • Barbosa, L. G. M. (2015). Índice de competitividade do turismo nacional: relatório Brasil 2015. 92 p. Ministério do Turismo. Brasília, DF.
  • Câmara Municipal de Fortaleza. (2018). Projeto de Lei nº 0366 / 2018. Available at: https://sapl.fortaleza.ce.leg.br/media/sapl/public/materialegislativa/2018/41771/41771_texto_integral.pdf. Accessed on 03.jun. 2020.
  • Cardoso, M. L.; & Figueiredo, M. D. de. (2016). Práticas de inovações sustentáveis: Estudo qualitativo no setor hoteleiro em Fortaleza/CE. Caderno Virtual de Turismo.
  • Carvalho, C. L. (1997). Menos estrelas para os hotéis. Nova classificação privilegia o atendimento aos hóspedes, mas métodos gerenciais, equipamentos e instalações ainda têm peso. Revista OESP Hotéis, Restaurantes e Fast-Food, s.ed., Artigo 5. Fev/Mar/.
  • Ceará. (2016). Lei N.º 16.032, de 20.06.16 (Republicação por incorreção no D.O. 29.06.16) Institui a Política Estadual de Resíduos Sólidos no Âmbito do Estado do Ceará. Available at: http://www.mpce.mp.br/wp-content/uploads/2015/12/Lei-Estadual-n%C2%BA16.032-2016-Institue-a-Pol%C3%ADtica-Estadual-de-Res%C3%ADduos-S%C3%B3lidos-no-Estado-do-Cear%C3%A1.pdf. Accessed on 15 July 2018.
  • Coltro, A. (2005). Sistema de certificação ISO 14000: ganhos competitivos. http://www.ead.fea.usp.br/semead/8semead/resultado/trabalhosPDF/73.pdf. Accessed on 11.04.2017.
  • Conpam (2014). Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente. Plano Estadual de Resíduos Sólidos do Estado do Ceará. Fortaleza, Ceará.
  • Dias, R. (2017). Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. 3. Ed. 5.rei. Atlas, São Paulo.
  • Donaire, D. (2013). Gestão ambiental na empresa. 2. ed – 17. reimpr. Atlas, São Paulo.
  • Eletrobrás. (2018). Caderno de Boas Práticas - Eficiência Energética em Edificações Brasileiras. Programa Procel. Available at http://www.procelinfo.com.br/main.asp?Team=%7BFC2C2D0B-55B9-411E-A298 ADBED177A088%7D. Accessed on 09.07.2018.
  • EMBRATUR (2018). Instituto Brasileiro de Turismo. Available at: htts://embratur.gov.br. Accessed on 23.07.2018.
  • Falcão, G. (2013). Produtos biodegradáveis. Revista Pensamento Verde.
  • Gripp, W. G. (2004). Gerenciamento de resíduos sólidos municipais e os sistemas complexos: a busca da sustentabilidade e a proposta de cobrança da coleta. Tese de Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental. Santo André, SP.
  • John, G; Clements-Croome, D; & Jeronimidis, G. (2005). Sustainable buildings solutions. Building and Environment, v. 40, n. 3, p. 319-328.
  • Lima, I. S. M. (2008). Apostila de Gestão Ambiental na Hotelaria.
  • Orfila-Sintes, F.; & Mattsson, J. (2007). Innovation behaviour in the hotel industry. Omega, v. 37, n. 2, p. 380- 394.
  • Pacheco, D. N.; & Martins, D. V. (2004). Restaurante como Empresa Socialmente Responsável. In: Turismo com responsabilidade social: coletânea do XXIII CBTUR, Congresso Brasileiro de Turismo, 2003. Organizador Miguel Bahl. Roca, São Paulo.
  • Pousada, A.; Pinzan, E.; & Sugiyama, M. S. G. (2005). Uso e reuso da água em São Paulo: uma reflexão para o lazer e o turismo. In: Dowbor, L.; Tagnin, Renato Arnaldo (Org.). Administrando a água como se fosse importante: gestão ambiental e sustentabilidade. São Paulo: Ed. Senac.
  • Santos, T. S. et al. (2015). Análise da eficiência energética, ambiental e econômica entre lâmpadas de LED e convencionais. Eng. Sanit. Ambient., v. 20, n. 4, p. 595-602. Rio de Janeiro.
  • Sawin, J. (2011). Global Status Report. REN 21 Secretariat, Paris. Renewable and Sustainable Energy Reviews 16 (1), 113-122.
  • Setur. (2017). Secretaria de Turismo do Ceará. Available at: http://www.setur.ce.gov.br/images/pdfs/estudos-pesquisas/evolucao-turismo-2006-2016-artigo.pdf. Accessed on 23.09.2017.
  • Sousa, C. C. B. (2013). Revelações sobre a satisfação do turista com os serviços ofertados nos meios de hospedagem: um estudo exploratório na Av. Beira Mar de Fortaleza –Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Fortaleza, Ceará, CE, Brasil.

Ayrıntılar

Birincil Dil İngilizce
Konular Otelcilik, Konaklama, Spor ve Turizm
Bölüm Research Papers
Yazarlar

André Riani Costa PERİNOTTO> (Sorumlu Yazar)
Universidade Federal do Delta do Parnaíba
0000-0001-7094-3758
Brazil


Maria SOUSA Bu kişi benim
EMI Centec, na Escola de Ensino Profissional Professora Marly Ferreira Martins
0000-0003-2873-608X
Brazil

Destekleyen Kurum State University of Ceará
Yayımlanma Tarihi 30 Aralık 2020
Yayınlandığı Sayı Yıl 2020, Cilt 5, Sayı 2

Kaynak Göster

APA Perinotto, A. R. C. & Sousa, M. (2020). Environmental responsibility actions and technologies in hotels management at Fortaleza: The Case of Fortaleza-Ceará-Brazil . Journal of Multidisciplinary Academic Tourism , 5 (2) , 143-155 . DOI: 10.31822/jomat.768792



88x31.png   All the contents of this journal licensed under a Creative Commons Attribution (CC-BY) 4.0 License (From September 2022)